quinta-feira, 31 de março de 2016

Novidades sobre o processo do jeremy contra a banda


O Daily Mail Online obteve acesso à documentos legais do processo que o baixista abriu contra seus ex-colegas de banda, onde é explicado todas as acusações contra Hayley e Taylor e o que é pedido em corte. Confira abaixo a tradução da matéria publicada pelo DMO:



Exclusivo: “Não é divertido” brigar pelo seu dinheiro! O ex-baixista da banda Paramore acusa a cantora Hayley Williams de “apunhála-lo pelas costas” ao retirá-do dos lucros e créditos
- Jeremiah “Jeremy” Davis, 31, entrou com processo contra os seus ex-colegas de banda Hayley Williams e Taylor York por quebra de contrato e fraude
- Davis diz em documentos judiciais que todos concordaram em dividir autoria pelas músicas escritas em 2013 pelo álbum auto intitulado “Paramore”
- Ele foi co-autor de 17 músicas mas foi creditado por apenas uma porção de uma interlude de um minuto e noventa segundos, de acordo com o documento
- Documentos dizem que Davis criou o estilo “funky” do maior sucesso da banda, Ain’t It Fun, que vendeu mais de dois milhões de cópias
- Davis está pedindo por sua porção de lucros e que os direitos autorais sejam editados por Williams e York para que incluam seu nome

Viver no mundo real pode ser uma realidade dura – como Hayley Williams da banda Paramore está agora descobrindo.
A vocalista está sendo atingida com um processo federal pelo seu antigo colega de banda e baixista Jeremy Davis, 31, com acusações de que ela se recusa a pagar sua parte dos lucros e que também está mentindo sobre quem de verdade escreveu as músicas. Também citados no processo estão Taylor York, Mark Mercado e a Fly South Music Group – que providenciou serviços de gerenciamento pessoal artístico para a banda – assim como Jason B. Childress e a Curo Financial Managemen LLC, que providenciou gerenciamento de negócios. Davis está processando por quebra de contrato e fraude.

Em documentos judiciais obtidos com exclusividade pelo Daily Mail Online, Davis diz que Williams, 27, e York 26, concordaram em dividir autoria pelas músicas escritas em 2013 pelo álbum auto intitulado “Paramore”. Ele diz que contribuiu com todas as 17 músicas do álbum e tem os créditos pelo estilo geral “funky” dos sons – especialmente o maior hit, Ain’t It Fun, que chegou ao número 1 na tabela da Billboard, vendeu mais de 2 milhões de cópias e ganhou um Grammy por melhor música de rock em 2015. Os outros hits da banda incluem Still Into You, The Only Exception e Misery Business.

Entretanto, os papéis dizem que Davis não foi creditado por nenhum dos trabalhos que ele fez no álbum além de uma música “jogada fora”. O processo diz: “A parte acusadora não está listada como co-autora de nenhuma das composições musiciais no álbum Paramore, com exceção de uma porção de uma interlude de um minuto e noventa segundos chamada “Interlude: Holiday”, que está apenas disponível como parte incluída com a compra do álbum Paramore inteiro, mas não disponível para compras individuais.

Davis, então, passa a acusar Hayley nos documentos do tribunal de creditá-lo publicamente em entrevistas por seu papel em Ain’t It Fun, mas nos bastidores não dar crédito onde o crédito é devido.

O processo diz também que Davis nunca foi propriamente compensado por sua co-autoria da música e, como resultado, ele ‘sofreu danos monetários substancias em consequência da conduta ilegal dos réus, incluindo – mas não limitando a – ser excluído da participação na renda decorrente de royalties, licenças e outras quantias geradas a partir das composições musicais e gravações de som incorporados no álbum Paramore’.
Davis, em seguida, vai atrás de Mercado, Fly South Music Grupo, Childress e Curo Financial Management na ação judicial, alegando que todos eles falharam em aconselhá-lo de forma adequada, tal qual foram contratados para fazer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário