quinta-feira, 21 de maio de 2015

KERRANG! SE DESPEDE DA ERA AUTO-INTITULADA E LANÇA AS EXPECTATIVAS PARA O FUTURO DO PARAMORE



A Revista Kerrang! publicou uma encantadora matéria na edição deste mês. Foi feito um grande resumo da era auto-intitulada, que está sendo encerrada com a Writing The Future tour, detalhando os momentos inesquecíveis, o amadurecimento da banda neste período e a difícil missão de iniciar uma nova fase na carreira. É imperdível, confira:



Hayley Williams senta-se em sua cadeira, alisa a saia e olha para a multidão, com os olhos arregalados de surpresa. “Este é um show muito diferente para o Paramore”, diz ela. “Geralmente, nós gostamos de sair cantando, tocamos um monte de músicas rápidas, eu uso calças… Mas este show, nós realmente queríamos tocar muitas músicas que não tocamos e apenas aproveitar o show. Então, obrigado por nos dar essa chance…”

E Hayley é fiel à sua palavra. Porque, aqui, esta noite, no Bell Auditorium, em Augusta, Geórgia, na primeira noite oficial da turnê Writing the Future (depois de um aquecimento na Faculdade de New Jersey e, estranhamente, na Academia Naval dos EUA), vemos um Paramore muito diferente do que conhecíamos antes de seu mais recente álbum, auto-intitulado, entrar em nossas vidas em abril de 2013. Ou até mesmo o que vimos no passeio de montanha-russa há dois anos atrás.

É diferente porque hoje à noite – como na maior parte desta turnê – Paramore está tocando em um elegante teatro de médio porte ao invés de uma grande arena, com ênfase de “cair o queixo” em relação à musicalidade ao invés de produção de arregalar os olhos. É diferente porque o set list é projetado para mostrar as profundezas ocultas, tanto do mais recente álbum quanto das músicas mais antigas. E é diferente porque, aqui entre os seus fãs mais devotos, Hayley, o guitarrista Taylor York e o baixista Jeremy Davis relaxam e nos mostram o verdadeiro Paramore.

Então, nós ainda temos os hits, mas também temos uma bela versão de “Hate to See Your Heart Break”, Hayley cantando com os olhos fechados, enquanto a multidão ecoa cada palavra. Ficamos com hits como “Still Into You” e “Ain’t It Fun”, mas também a nunca-antes-tocada “Tell Me It’s Okay” e uma charmosa seção acústica, onde “Misguided Ghosts” e “Franklin” proporcionam espaço para respirar. E enquanto, como de costume, um fã canta “Misery Business”, nós também conseguimos ver Hayley assumir esplendidamente uma certa irritação em “Playing God”, a música Decode devastadoramente desolada e uma intensa “I Caught Myself”.

Mas esta noite não é apenas diferente porque Paramore está misturando seu set list. Esta noite é diferente porque eles estão se preparando para deixar para trás essa fase de suas carreiras e enfrentar o grande desconhecido. Parece um pouco como um amigo que está deixando sua casa e que viverá uma nova vida em outro país: parte nostálgico, parte triste porque ele está indo embora e uma parte cheia de expectativas sobre as coisas maravilhosas que virão a seguir.

Porque o Paramore (álbum) fez o Paramore (banda) maior e mais adorado do que nunca. Em um tempo que a música rock é frequentemente marginalizada pelo mainstream, eles se tornaram uma banda extraordinária capaz de passar do mundo da Kerrang! e Warped Tour para a terra não explorada de Good Morning America e o Grammy Awards, sem afastar nenhum de seus fãs de hardcore.

Como foi um sucesso que eles nem imaginavam, continuaram a retirar mais músicas do álbum auto-intitulado. Mas como princesas da Disney, Paramore sabe que às vezes você deve deixar ir.

Então, com “Future” é construído um magnífico turbilhão de barulhos que deixam Hayley de joelhos, braços ao alto em súplica, a letra da música soa mais verdadeira que nunca:

“So think of the future”, she sings. “Think of a new life / And don’t get lost in the memories / Keep your eyes on a new prize.”

Voltando há 30 meses atrás, os olhos de Hayley estavam em um outro prêmio: sobrevivência. O álbum auto-intitulado foi gravado e estava sendo preparado para o lançamento e Hayley estava pensando no que este álbum poderia significar para as pessoas que mais importam: os fãs de Paramore.

“Eu não quero assustar ninguém, mas está diferente. ”, ela contou. “Eu não sei como explicar, mas é uma versão mais livre da nossa banda. Nós estávamos assustados em permanecermos os mesmos, mas também estávamos assustados em sermos diferentes demais. Eu acho que nós encontramos a linha, fizemos isso duas vezes e tivemos um ótimo período fazendo isso. É definitivamente uma nova versão de quem já somos”.

Parece maluco agora, mas lá trás, o que Paramore foi – e o que eles têm se tornado – estava na cabeça das pessoas. Eles não eram ainda a banda “Top 10 singles” dos Estados Unidos e os co-headliners triunfantes do Reading Festival que são hoje. Eles eram a banda que ficaram distantes por três anos e que tinham acabado de perder dois membros fundadores – incluindo um compositor chave – em uma circunstância amarga.  E enquanto o álbum anterior, Brand New Eyes de 2009, foi um sucesso gigantesco, eles não tinham garantias que um novo álbum seguiria o exemplo.

A banda não procurou por substituições permanentes com a saída dos irmãos Farro, significando que as músicas do novo álbum vieram, em sua grande parte, da parceria entre Hayley e Taylor. Eles não compunham juntos desde os 13 anos, mas, no entanto, Hayley falou com uma confiança contagiante sobre os resultados.

“Foi como estar em uma banda pela primeira vez, tudo de novo, e foi isso que deixou tudo empolgante. ” – ela sorriu. “Esse álbum sempre irá nos construir ou nos destruir – e nós fizemos um álbum que definitivamente não irá nos destruir. ”

Paramore começou muito forte, foi direto para o número 1 em todos os lados do Atlântico, a primeira vez que eles chegaram ao topo nos Estados Unidos. Mas isso também provou que a banda têm um potencial real além dos diversos encantos deslumbrantes do Paramore que infiltraram lentamente, mas certamente na consciência das pessoas.

Eles apareceram na capa da Kerrang! Em abril de 2013, Hayley explicou: “Nós três realmente crescemos muito. Nós tivemos que aprender novos caminhos para fazer coisas antigas. Esperançosamente, as pessoas não verão o álbum como algo de uma banda que está passando por problemas. Isso nós já fizemos com o Brand New Eyes. Esse álbum é sobre as pessoas que passam pela vida.”

E essa vida logo começou a mudar. O segundo single “Still Into You” se tornou um monstro nas rádios, vendendo um millhão de cópias nos Estados Unidos, enquanto o clipe foi visto mais de 80 milhões de vezes no YouTube até agora. A turnê de setembro em uma das arenas do Reino Unido provou uma combinação para qualquer música pop espetacular enquanto o cruzeiro Parahoy! de março de 2014 foi a coisa mais empolgante que aconteceu à água desde quando Deus inventou o whisky. Mais tarde, “Ain’t It Fun” se tornou o maior single dos Estados Unidos assim como a Monumentour (com Fall Out Boy) se tornou a tour do verão 2014.

Mesmo quando as coisas ameaçam a dar errado, como quando a energia acabou durante o mais emocionante setlist do Reading Festival dos últimos anos em Agosto de 2014, eles encontraram um jeito de vencer. Hayley simplesmente fez a multidão cantar acusticamente “The Only Exception”. Milhares de luzes de celulares foram levantadas com essa queda de energia no palco e que eles, de alguma forma, criaram os momentos mais mágicos do show.

E então, depois de dois anos de lançamento do álbum, a banda ganhou o primeiro Grammy Award com “Ain’t It Fun” batendo The Black Keys e Jack Black na categoria Melhor Canção de Rock. Foi o apoio definitivo do novo status do Paramore como a banda de rock favorita de muitas pessoas.

“Paramore elevou a cena para um novo lugar e uma nova plataforma.” disse Josh Franceschi do You Me At Six, um fã de Paramore de longa data. “É o tempo que só as mega estrelas estão tocando no Madison Square Garden em Nova York ou no Staples Centre em Los Angeles, e eles já fizeram tudo isso. A banda deles só irá crescer, crescer e crescer.”

Então, o quanto eles podem crescer? Bem, a banda não tem nada definido depois da Writing The Future tour além do Parahoy! 2, que será em março de 2016.

Mas o crescimento da popularidade de Hayley significa que ela dificilmente irá se sentar e descansar e colocar seus pés para o alto. Ela foi convidada a estrelar no videoclipe de Bad Blood, de Taylor Swift ao lado da supermodelo Cara Delevigne; ela lançará sua própria linha de tinturas de cabelo e ela já tem seu próprio vlog sobre beleza, Kiss Off. Esse não é o tipo de coisa que o padrão emo-rocker da Warped Tour proporciona.

Ela também tem uma pequena questão a planejar: seu casamento com Chad Gilbert do New Found Glory, mas, além de todas essas atividades extracurriculares, o próximo álbum do Paramore estará na mente de Hayley Williams quando a turnê Writing The Future chegar em Portland, Oregon, no dia 25 de maio. (Nós ainda podemos sonhar com algum show em UK mas parece extremamente impossível).

“Há mais a fazer.” Hayley disse em um blog, antes de iniciar a turnê em março. “Eu não tenho ideia do que será do Paramore depois, mas eu estou ansiosa para descobrir.”

O que está claro é que a própria turnê Writing The Future parece ser um modelo para o futuro do Paramore. Depois do grande sucesso do Paramore e com os problemas deixados para trás, nós finalmente teremos a chance de ver o que o Paramore produzirá sem pressão. Tendo conquistado funk, pop e até mesmo gospel, quem sabe o próximo gênero que eles irão usar? Talvez eles deixarão reinar seu lado acústico? Ou talvez eles vão retornar com um som mais punk e pesado que fizeram seu nome?

Para uma banda com tanto sucesso como o Paramore, todas as opções permanecem abertas. E, em março, Hayley contou à Rolling Stone que ela espera que a turnê – inspirada pela atmosfera eclética dos shows do Parahoy! – “acenda uma luz em nós para sabermos o que vamos fazer depois.”

“Eu só consigo sentir. E isso é empolgante.”

Enquanto isso, porém, Writing The Future está proporcionando empolgação mais do que suficiente.

A turnê tem a intenção de ser menor do que as turnês do Paramore foram nos últimos anos, mas a reação da audiência não foi menos do que histérica.

A banda também está tendo uma explosão de sentimentos. Taylor e Jeremy ficam com um sorriso estampado em seus rostos em todos os shows, enquanto a banda Copeland desenvolve a abertura dos shows. Paramore já abriu um show da banda Copeland há alguns anos atrás. Quando Hayley percebe que já fazem 11 anos desde esse dia, ela tweetou: “Meu coração não pode ser emo. ” Benção.

De fato, Hayley parece mais relaxada do que ela era há alguns anos atrás. Em Clearwater, no segundo dia de turnê, ela arranca seus sapatos depois da música de abertura, Daydreaming e faz o resto do show de meias. Quando alguém grita: “Eu te amo”, ela responde com um sorriso: “Obrigada! Não me diga que você está gravida…”

No terceiro, em West Palm Beach, no SunFest de Florida, talvez mais atentos porque estavam dividindo a conta com Sammy Hagar, eles ajeitaram a set list para incorporar mais alguns hits, mas ainda teve os caras cantando as mais clássicas e “Now I’m One of Those Crazy Girls”, um dos momentos mais suaves do álbum autointitulado.

Paramore, hoje em dia, é para todo mundo. Mas em Augusta, o primeiro passo da última etapa da maratona autointitulada, a mente de Hayley está nos fãs que estiveram com eles desde o princípio e quem os colocou nessa posição rarefeita.

“É hora de deixarmos a era auto-intitulada e irmos para tudo o que pode vir a seguir. ”, ela diz, antes de uma rendição emocional em “Careful” de Brand New Eyes, uma música que ela disse ter escrito em um período “quando eu não acreditava que minha vida iria para algum lugar. ”

“É tão assustador deixar uma parte de sua vida para trás e entrar em uma nova fase, você não concorda? ”, ela pergunta para a plateia, enquanto eles gritam todo seu apoio. “Nunca fica mais fácil. Toda hora eu passo de um álbum para o outro, eu duvido de mim mesma e duvido que tudo ficará bem. Então, em qualquer momento que você estiver em sua vida, você está no fim de uma fase ou começando uma, não se assuste – apenas siga em frente. Tudo será legal, tudo ficará bem.”

E então, você suspeita, vale em dobro para o próximo álbum do Paramore. Nós não sabemos quando ele irá chegar ou como ele irá soar. Tudo o que nós sabemos é que será diferente e que fará diferença. Afinal, esta é a maneira do Paramore.

Fonte: Paramore Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário