segunda-feira, 26 de maio de 2014

Hayley fala sobre a MONUMENTOUR, e o pagamento em pizza que o Paramore recebia, no começo da carreira



Em uma divertida entrevista ao Saturday Night Online, Hayley Williams falou sobre as surpresas que estão sendo preparadas para a MONUMENTOUR, a sua expectativa por um novo Parahoy, quais suas músicas preferidas para o live, e muito mais! A conversa foi por telefone, na sexta-feira, 23. Confira o áudio e a tradução:




Anthony: Senhoras e senhores, eu estou muito feliz agora, com Hayley Williams, do Paramore, no telefone.

Hayley: Oi!

A: Como vai?

H: Estou bem, e você?

A: Estou bem! Primeiramente, eu só quero que você saiba que estou um pouco triste, porque eu adoraria ter você aqui, no estúdio. Mas estou muito animado por estar falando com você pelo telefone.

H: Sim, peço desculpas por eu não poder ir aí, eu sei que você esperou um bom tempo.

A: Da próxima você vai vir passar um tempo conosco, certo?

H: Sim! Com certeza! Nós amamos ir aí.

A: E vocês estão se preparando para co-apresentar uma das turnês que eu estou mais animado para ver nesse verão, a Monumentour!

H: Sim! Nós e o Fall Out Boy, é como… é a primeira tour conjunta que fazemos em um bom tempo. Estou muito animada!

A: E como funciona essa coisa de turnê conjunta? Como isso funciona realmente?

H: Bem… na verdade é apenas um tipo de termo técnico para… na verdade um termo não muito técnico, para… apenas compartilhar a responsabilidade, então.. digo, basicamente é tipo, vocês veem ambos os nossos nomes no topo do poster promocional, sabe, se fosse só uma turnê do Paramore, seria nosso nome no topo e o nome de seja qual banda abrisse o show embaixo, então realmente é só… para mim, é super legal porque nossas bandas vieram do mesmo mundo, crescemos meio que no mesmo cenário, e nossos fãs, ambas nossas “fanbases”, de certa forma, nos carrega… sabe, e agora somos capazes de fazer uma grande tour de verão, e apenas parece o certo, juntar as forças. Isso é o que realmente significa, só estamos juntando forças, recreando uma experiência para os nossos fãs, porque compartilhamos muitos dos mesmos fãs, e eu acho que devemos isso a eles, para… sabe, dar algo a eles por todo o trabalho duro que eles tiveram para nos sustentar.

A: Você mencionou o cenário que vocês surgiram juntos. Sabe, vocês estavam indo de cidade em cidade em uma van de tour, você já pensou que isso aconteceria?

H: Não, nunca. É tão… ainda é inacreditável que façamos o que fazemos e nessa escala que podemos fazer agora, é insano, quando eu escrevo músicas que tocam na rádio, ainda é inacreditável, ainda fico animada, no celular, nas estações de rádio, no meu iPhone, eu acho que… é um sonho, e vale a pena porque é um trabalho duro, mas quando você chega no final disso, ou seja qual o ponto que você chegou, você olha para trás naquele trabalho duro e isso se torna boas memórias e, somos felizes, e eu olho para trás nos primeiros dias, na van e tal, e fico tipo, “Cara, estou tão feliz que trabalhamos duro, porque eu realmente, aprecio cada coisa que fomos capazes de ganhar, cada apoio, ou um fã de Paramore que ganhamos”, é tipo… sabe, eu prezo muito isso.

A: Você já olhou para aquele passado, sabe, de cidade em cidade em uma van, e já pensou, “Ok, por pelo menos um mês, eu gostaria de voltar e fazer aquilo de novo”? 

H: Sim, nós conversamos sobre isso o tempo todo, nós já fantasiamos voltar no tempo, e fazer tipo, os trabalhos de escola na situação de tour.

A: Entendo.

H: O Taylor, ele estava na banda quando eu e Jeremy começamos, tipo, sempre tocamos juntos, mas Taylor era proibido de ir em tour, então ele não era necessariamente parte da banda até depois que gravamos o Riot!…

A: Nossa!

H: E ele perdeu, tipo, ele sempre falava, “Eu perdi os shows, eu perdi a melhor parte”, sabe, e eu ficava tipo, “Não sei se você acharia que é a melhor parte”, nós vivíamos em tour, e não ganhávamos dinheiro nenhum, sendo pagos com pizza toda noite.

A: É, tenho certeza que quando você está nessa situação não parece tão bom.

H: Não, mas como eu disse, quando olhamos pro passado… e, digo, foram algumas das melhores épocas da minha vida toda, fazendo amigos por todo o país e por todo o mundo, porque depois começamos a viajar para a Europa e Inglaterra, é o melhor, então nós conversamos sim sobre fazer isso de novo, só para nos divertimos. E eu imagino se isso vai acontecer um dia, tenho certeza que sim.

A: Você também mencionou que você meio que enlouquece quando escuta a música de vocês na rádio ou em qualquer lugar e você não acredita no que está acontecendo. Você é o tipo de pessoa que se estiver no carro cheio de pessoas e se a música começar a tocar você fica tipo, “Shhh Shh, minha música está na rádio, calem a boca!”?

H: Não, quando eu estou em volta de pessoas, eu tento me controlar, fico tipo “Ah sim, que legal”, ou eu dou risada, mas se eu estou sozinha, eu coloco o volume no último e dirijo mais rápido, fico empolgada, mas sim, eu fico meio com vergonha se eu estiver em volta de um monte de pessoas, de amigos, e começa a tocar em uma loja, isso sempre acontece, tipo, agora, isso literalmente acontece sempre. Se vamos para, uma cafeteria ou uma loja, e “Ain’t It Fun” começa a tocar, eu fico sem jeito, na frente das pessoas eu fico com vergonha.

A: Você já tentou sair lentamente de costas do lugar? Tipo, “Ah, não, não olhe para mim, não estou aqui, não me veja!”?

H: Sim. Mas me veja quando eu estou sozinha é outra coisa, é outra situação.

A: Sabe, precisamos de um bom vídeo-selfie de você enlouquecendo quando uma das músicas de vocês passar na rádio, especialmente “Ain’t It Fun”.

H: Sim, eu vou tentar lembrar.

A: Tudo bem. Então, aqui no Saturday Online, nós sempre pedimos para os nossos fãs para fazer perguntas para vocês, está pronta para pular pra isso?

H: Sim!

A: Certo, então primeiro, temos uma pergunta de skinnyjeangirl: Vocês vão tocar alguma música com o Fall Out Boy durante a tour?

H: Sim, nós vamos. Nós na verdade… ambas de nossas bandas tem aproximadamente o mesmo tempo de tempo de show, de set, estamos planejando de invadir várias músicas de cada um de nós.

A: Você pode nos dar uma prévia do que vocês farão, ou quais músicas vocês vão tocar juntos?

H: Oh, eu quero manter a surpresa, mas nós tentamos tocar todos os nossos álbuns e… sabe, pelos fãs que estiveram por perto todo esse tempo que estivemos por aí, vamos tentar, sabe, fazer eles se divertirem e também divertir os fãs que acabaram de chegar, que estavam escutando a rádio e compraram os ingressos para ver como é ao vivo.

A: Vamos fazer um acordo, se você me contar as músicas específicas que vocês tocarão juntos, eu prometo não contar para os milhões de pessoas que estão nos escutando agora.

H: Essa é boa.

A: Então, Johnny nos mandou uma pergunta pelo Facebook e ela quer saber: Qual é a sua música favorita de tocar, é uma música nova ou antiga?

H: Isso muda o tempo o todo para mim. Acho que isso acontece porque as músicas são realmente pessoais e é de acordo com o que você sente no momento, qual música você se conecta. Nós tocamos nos… nós fizemos uma coisa chamada PARAHOY!, que foi tipo nosso cruzeiro, e eu espero que façamos mais isso porque foi insanamente legal.

A: Pareceu ótimo! Queria poder ter ido.

H: Se fizermos outro você definitivamente estará lá!

A: Ok, vou estar.

H: Foi muito divertido! Eu realmente gostei! As músicas do novo álbum, que eu realmente amo tocar, e uma delas nós já tocamos antes, então já sabia que gostava, chamada “Proof”, que está no álbum, é uma das minhas favoritas. E tem a outra que não tínhamos tocado antes, e é como uma música que é tipo antiga de um grupo dos anos 60, sobre ser uma garota e enlouquecer, e é chamada “(One of Those) Crazy Girls”, foi muito divertido tocar, e Taylor tem uma parte da guitarra muito legal, e… eu só me senti muito legal tocando “Crazy Girls”.

A: Você mencionou tocar a música pela primeira vez, como é? Você fica nervosa quando você sabe que vai para a plateia e tocar uma música pela primeira vez  ao vivo na frente de um monte de pessoas? 

H: Meu Deus, sim! Eu fico tão nervosa para tocar essas músicas… porque eu… eu.. eu fico muito… no momento, no palco, e eu olho para as pessoas, e eu fico distraída por elas, então… tipo, nossos fãs, especialmente os que vem para vários shows, eles fazem piadas internas sobre com qual frequência eu vou esquecer as letras porque eu estou olhando para eles, é muito divertido, não é como se eles estivessem me pressionando, mas… eu simplesmente… tipo, músicas novas, que não tocamos muitas vezes, e elas não ficam muito presas no meu cérebro, é… eu esqueço as palavras! Eu literalmente fico muito nervosa de tocar as novas, porque se eu esquecer a letra vai ser tão idiota.

A: Já houve alguma vez que você esqueceu uma frase toda ao invés de uma palavra?

H: Oh, sim! E aí você tem que tipo fazer uma rápida decisão de 4 segundos, “Eu surjo com novas palavras no momento e tento não sair estranha, ou eu só aponto o microfone e deixo outra pessoa cantar? Ou eu dou risada?”, digo… cara, ser uma cantora… Da próxima que eu entrar para uma banda eu vou ser a baterista!

A: Acho que é melhor só apontar o microfone, olhar para a plateia e dar a entender que você quer que eles cantem junto.

H: Sim, eu faço isso bastante! É… as pessoas que vem para os nossos shows são muito generosas

A: E nós também temos uma pergunta de outra fã, ela quer saber: Quando vocês estão em tour, quem fede mais depois de uns dias?

H: Jeremy!

A: Sério?

H: Sim….

A: Mas ninguém chama ele de canto e fala, “Cara, já fazem 3 dias, hora de tomar um banho!”?

H: Jeremy se gaba de… Uma vez ele fez uma aposta de não tomar banho por um bom tempo em uma tour em 2007, e eu acho que ele... vou adivinhar errado, mas eu acho que ele ficou 27 dias sem tomar um banho. Pois é.

A: Isso parece horrível. De apenas estar por perto, ele provavelmente estava bem.

H: Ele provavelmente não se importou com nada, mas… digo, foi muito engraçado, e ainda era verão, foi divertido.

A: Chris mandou uma pergunta no Facebook e ele quer saber: No último clipe vocês estavam quebrando recordes mundiais, vocês vão quebrar mais recordes no futuro?

H: Nós na verdade… tipo, estão vindo algumas oportunidades para nós de quebrar mais alguns recordes, tipo com fãs em meet & greet, em certas entrevistas que fazemos as pessoas têm ideias de recordes e perguntam se estamos interessados, e claro que estamos! Porque queremos entrar para a história com o maior número de coisas possível, então, é… nós nos divertimos muito com isso, eu acho que um dos mais esquisitos que fizemos fora do clipe foi… em Nova Iorque, estávamos tendo muitos encontros, zilhões de entrevistas, meio que indo de lugar a lugar, e tivemos a oportunidade de… em uma tivemos que, tipo dar a entrevista, mas tinham bexigas caindo ao mesmo tempo, então tínhamos que estourá-los enquanto respondíamos as perguntas, e foi o recorde de estourar a maior quantidade de bexigas durante uma entrevista, e foi tão divertido!

A: Legal! Ok, então eu vou de desafiar agora mesmo! 

H: Ok!

A: Não tenho certeza de qual exatamente vai ser o recorde, mas, eu acho que agora mesmo deveríamos começar a fazer a maior entrevista da história, e você só fica no telefone por, sei lá, 2, 3, não sei quanto tempo, 2 ou 3 dias, tenho certeza que você pode fazer! Vocês estão em uma pausa! Não é muita coisa!

H: Sim, eu posso! Mas eu estou quase sem bateria!

A: Ok, então da próxima vez que você vir para cá faremos a maior entrevista de todos os tempos!

H: Ok! Tudo bem.

A: Muito obrigado por ter passado esse tempo conosco. Boa sorte com a tour!

H: Eu que agradeço, muito obrigada!
 
Fonte:  living paramore

Nenhum comentário:

Postar um comentário