sábado, 8 de março de 2014

paramore já pensa em gravar novo álbum


Em entrevista ao radio.com, Hayley disse que o Paramore deve gravar um novo álbum ainda esse ano, Confira:

“Como você se sente em ainda estar por perto e em tour com o Fall Out Boy após 10 anos?”
Hayley: Fall Out Boy nos surpreendeu também, eu não tinha ideia que eles estavam fazendo um novo álbum. Havia tipo, pequenos rumores rolando em LA, porque era onde estávamos fazendo o álbum e eu acho que foi lá que eles fizeram o álbum deles também, mas… a ideia completa por trás do nosso novo álbum era que estávamos ganhando uma segunda chance para começar de novo e, realmente redescobrir o que queríamos ser e o que já somos, e mostrar isso para os nossos fãs, sabe? Não tínhamos que… acho que a mensagem real era, “Você não tem que cair, você não tem que desistir, só porque tudo parece que… está tipo… a sorte contra você”, sabe? Então, foi super importante para nós não sermos super nostálgicos ou sentimentais, eu sou muito esse tipo de pessoa, especialmente vindo do cenário em que viemos, eu tenho tendência a ser realmente nostálgica sobre bandas, sobre músicas, sobre o cenário no geral. Então, foi importante para nós irmos contra isso e nos pressionar para fazer isso e eu acho que foi o mesmo para o Fall Out Boy, esse é o álbum deles que… que saiu de um hiato e saiu de um monte de… sabe, pessoas pensando sobre eles ou acreditando neles e eles, digo, eles realmente, tipo… não sei, acho que eles superaram todas as coisas que eles já fizeram no passado, e eu cresci escutando o primeiro álbum deles, sabe? Então, é legal, é legal que nossos fãs deixaram isso acontecer, porque isso realmente depende deles, nós podemos escrever música o dia inteiro mas não podemos apenas tocá-la para nós mesmos, mas… é legal que as pessoas aceitaram o álbum, eles realmente, não só aceitaram, mas acho que… defenderam ele, sabe? Tipo, realmente carregaram a tocha por nós, então, só é certo que as nossas bandas vão fazer essa tour juntas, nossos fãs estiveram pedindo por isso, fanbases de ambas as bandas, então é um testamento disso.


“Após se unir com B.o.B. e Zedd, você consideraria lançar um álbum solo?”
Hayley:
Para mim é… eu nunca me senti ameaçada pelas pequenas coisas de fora da banda porque eu sei onde meu coração está, e é difícil provar isso para as outras pessoas, então sempre há um pequeno rumor, há sempre perguntas em entrevistas, e fãs que meio que têm sua própria opinião, mas… digo, minha prioridade sempre será o Paramore e se eu… é… sabe, quando eu fiz Stay The Night, eu fiz bastante escrita nela, foi tão… é… foi realmente libertador porque eu realmente tenho medo de… tipo, eu não sou o tipo de pessoa que senta em uma sala e escreve com as pessoas. Eu escrevi para o “Paramore” e Taylor e eu nos juntamos, escrevemos uma música, e ela acaba no álbum ou não, então, é bom para mim porque eu acho que isso me força, me desafia, me deixa melhor para a banda, ser capaz de tentar novas coisas, mas só é certo se for certo. E outra parte disso é ter o apoio dos caras, se eles não estão com 100% de certeza sobre alguma coisa então eu não sinto 100% de certeza também. Você nunca pode dizer nunca na sua vida, em geral, mas, de novo, eu sei onde o meu coração está, e está literalmente, desde o primeiro dia, com a banda, e eu não consigo me imaginar fazendo outra coisa, não consigo imaginar o por que de fazer outra coisa.

“Quando os fãs podem esperar outro álbum do Paramore?”
Hayley:
Sim, estivemos falando sobre escrever, e… aconteceu, mas é apenas como sempre, como um começo lento e ai haverá um momento onde vamos nos focar nisso, ou terminar a segunda ou terceira demo e ficaremos tipo, “Agora começamos!”, sabe? “Agora isso é real.”, mas… eu sei que Taylor escreve mais do que qualquer um de nós, tipo, sempre. Jeremy… ninguém sabe disso, mas na verdade Jeremy programa batidas, e tipo, escreve faixas de hip-hop e coisas desse tipo, e é incrível. Ele é tão… ele cresceu nisso, e é bem legal, muito legal, ele está sempre sendo criativo, eu tento escrever, sabe, estar meio que apenas na minha própria letra, tanto faz, isso vai se juntar. E na verdade vamos começar a nos juntar mais nesse verão, vamos trabalhar juntos o tempo todo, e nós temos mais tempo, sabe? Vai ser legal, vai ser muito legal, eu estou ansiosa, não tenho nenhuma ideia de como vai ser, digo, eu sei como que é que algumas músicas são mas, não sei.

“Qual a história por trás de ‘Ain’t It Fun’?”
Hayley:
Bem, Ain’t It Fun, de novo, Ain’t It Fun foi como uma das músicas mais assustadoras que acabou no álbum. Começou como esse… Taylor era conhecido de uma banda chamada Dutch Uncles, que coincidentemente acabou fazendo um remix da música, a qual vamos publicar mais para frente. Mas, é… ele estava com essa banda chamada Dutch Uncles e ele pensou, “Eu vou fazer uma faixa que soe como essa”, e eu entrei, estávamos nos preparando para ir comer, estávamos ficando em um hotel em LA e, eu entrei no momento exato, ele estava tocando RSP Kors, tinha um alto-falante configurado nas garrafas de água Fiji, foi tão “do gueto”, contorcido, legal, foi… apenas boas memórias e é… nós nem acabamos comendo, nós terminamos a música naquela noite, e eu não conseguia acreditar, tipo, o quanto eu tinha a dizer sobre o que eu tinha que dizer em uma música… nos mudamos para LA para fazer esse álbum e foi a minha primeira vez passando muito tempo em qualquer lugar além da minha casa, sabe, estar longe da família, estar longe da maioria dos amigos que cresci junto e… sabe, Paramore, todos… só nós três, de qualquer maneira, e nossos amigos são bem apegados, então quando você sai da sua bolha, você percebe o quanto o mundo realmente é grande, e você meio que tem que se defender sozinho, e, eu amei. Digo, eu odiei, mas eu amei, e me assustou, e… é… as letras foram meio que de um jeito sarcástico de lidar com a percepção de que você não pode ser o rei da colina o tempo todo, você realmente tem que fazer seu caminho para novas oportunidades, e coisas novas, e pessoas novas. E… e de novo, você não pode ter medo disso, então, foi realmente um exercício muito bom para mim, como um ser humano, como uma pessoa de 23 anos na época, entendendo que a vida é muito maior do que a sua própria perspectiva, do que… não sei, apenas… seu próprio caminho na vida, ela se conecta com tantas outras coisas, então, é uma música importante para nós, e depois, claro, o coral, que aconteceu e foi um sonho realizado para mim, amo música gospel então… muito importante.

 Fonte: Living Paramore

Nenhum comentário:

Postar um comentário