terça-feira, 15 de outubro de 2013

San Francisco Gate faz Q&A com Hayley

stn
Hayley responde o que faria se tivesse saído da banda, lançar um álbum em primeiro lugar e ainda como foi ter morado sozinha em Los Angeles. Confira a tradução:
O Paramore passou por um enorme susto uns anos atrás, quando o guitarrista fundador, Josh Farro e seu irmão Zac deixaram a banda abruptamente. Depois que a poeira abaixou, a cantora Hayley Williams de 24 anos, decidiu continuar com Taylor York e o baixista Jeremy Davis.
O grupo do Tennessee foi para Los Angeles para compor seu quarto álbum com o produtor Justin Meldal-Johnson que trabalhou com Beck e M83, entre outros artistas. A banda ressurgiu colocando o álbum “Paramore” em primeiro nas paradas.
A banda toca sexta-feira no SAP Center em San Jose. Williams conversou conosco sobre a superar a separação.
Q: Nos dias que você pensou em abandonar a banda, como imaginou que seria o resto da sua vida?
A: Pensei em talvez trabalhar em alguma cafeteria porque no final do dia, não sabiamos que as músicas que estávamos escrevemos funcionariam. Sou muito realista. Não acho que isso vai durar para sempre. Somos gratos por continuar fazendo isso.
Q: Não só continuaram como também chegaram ao número 1 nas paradas.
A: É insano. Há muito que eu gostaria de eliminar nesse trabalho, especialmente a fama. Não é algo que eu quis. Mas sei que isso é o preço de ter pessoas que se relacionam com suas músicas.
Q: Há alguma razão específica de você ter ouvido apenas músicas dos anos 80 durante a composição desse álbum?
A: Para mim, são músicas mais tridimensionais do que as que existem hoje. Também me impediu de ser consumida pelas músicas da moda.
Q: Você morou sozinha em Los Angeles por um tempo para esfriar a cabeça. Se sentiu solitária ou aproveitou ao máximo esse momento de anonimato?
A: Um pouco dos dois. Precisávamos de tempo para nós mesmos para descobrir como continuar. Estávamos perdendo amigos, foi difícil. Não aguentava estar envolta das memórias e pessoas lá no Tennessee. Mudei para LA umas semanas antes do resto da banda vir para trabalharmos no álbum. Descobri rapidamente que não adianta fugir dos problemas. Isso é a razão das músicas serem sobre crescer e superar as coisas que acontecem na vida. Olhando para trás, foi um dos momentos mais importantes da minha vida.

Fonte: Paramore BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário