segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Paramore retorna com arranjos inteligentes e mais estilosos do que nunca!

The Vancouver Sun  marcou presença no segundo show da The Self-Tittled Tour em Vancouver, Canadá no dia 16 de outubro e publicou uma matéria em seu site onde destaca os principais momentos do show e como a banda levou o público ao delírio.

Confira!!!

Vancouver – Canadá: Crescer é difícil, mas mais difícil ainda é crescer diante dos olhos do público. E talvez impossível quando você tem sido a front woman de uma sucedida banda emo-pop desde os 14 anos, como é o caso da vocalista Hayley Williams.
Para o Paramore, “Grow Up” – canção que abriu o show no PNE Forum na quarta à noite – já se tornou um hino para a próxima fase na jornada musical da banda.Houve um tempo em que Williams poderia ser comparada a Avril Lavigne, apesar de ter habilidades de escrita superiores. Porém desde a saída de dois companheiros de banda – os irmãos Josh e Zac Farro – quando eles iniciaram um novo álbum (auto-intitulado) do zero, ela demonstrou crescimento, podendo encaixar-se confortavelmente ao lado de Yeah Yeah Yeahs e outras lendas do punk-pop.
      

Seu estilo ainda é pop, pulando para a antiga pegada mais punk nas guitarras e a potente voz de Williams, mas os arranjos estão mais inteligentes e complexos. As guitarras flutuam com leveza, como se eles fizessem um estilo de metal, com muita precisão.
Quarta-feira, no PNE, Williams apareceu no palco com seus cabelos curtos de coloração tangerina, lembrando a personagem alienígena de Milla Jovovich em “O Quinto Elemento”.
De calça flexível e jaqueta de couro pintada com spray contendo o mais novo slogan (Grow Up), Williams abriu o show com um salto. De punhos cerrados, jogando os braços ao ar, ela entoou “Fast In My Car”, música composta uma guitarra espetacular, que lembra um pouco a ferocidade animal de Karen O.
A banda intercalou músicas dos quatro álbuns, porém visivelmente dando prioridade a seu último trabalho, o álbum auto-intitulado. A única pausa no som pesado foi para um breve interlúdio com ukulele, “I’m Not Angry Anymore”, canção composta de uma frase memorável: “Não sou mais amargo, sou como xarope doce, vou deteriorar seus dentes até o fim”, para lembrar aos ouvintes que mesmo com a nova fase, ainda há muito “emo” no coração do Paramore.
(É difícil não interpretar essa canção como uma resposta sarcástica ao comportamento online desagradável de Josh Farro, logo após ter deixado a banda).
Williams e os companheiros restantes de banda (Jeremy Davis no baixo, Taylor York na guitarra base) ficaram tensos, mas ao mesmo tempo pareciam felizes em deixar que a pequena Hayley assumisse a liderança.
Para as clássicas baladas “When It Rains” e “Last Hope”, Williams trouxe seu teclado ao palco.
“Fazia muito tempo desde a última vez que viemos a Vancouver”, disse Williams. “Se você quer ficar bravo com alguém, fique bravo com nós.”Eles estiveram em estúdio por dois anos para a gravação deste álbum, explicou.Duas guitarras e um baterista proporcionaram um som incrível. Somando-se tudo, foi um grande show, que poderia ter ocorrido em um local maior e com mais pessoas.

Fonte e Tradução: Paramore Brasil 

Nenhum comentário:

Postar um comentário