sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Informações exclusivas sobre as faixas do álbum 'Paramore':

Confira em primeira mão a tradução da nova biografia (oficial) do Paramore. Nela, a banda fala sobre o estilo da maioria das 17 faixas de seu novo álbum, e sobre como foi escrevê-lo.

Quando Hayley Williams começou a escrever letras de músicas para o novo auto-intitulado álbum, ela se deu conta que estava sentindo-se mais otimista do que nunca sobre o futuro da banda que ela tem fronteado desde os 15 anos. “Eu tive um ataque momentâneo de Tony em ‘Amor, Sublime Amor‘ onde ele canta sobre como algo está por vir. Ele não sabe o que é, mas sabe que será ótimo”, ela disse rindo. “Muitas das nossas novas músicas vieram dessa forma. Elas são sobre precisar encontrar qualquer coisa que está por vir.”
Com o single “Now” como um pontapé – com a frase “If There’s a Future, We Want It Now (Se há um futuro, Nós o queremos agora) – foi iniciada uma urgência de espírito do quarto álbum da banda Paramore, que vieram de Nashville, Tennessee. Dada a escolha de fazer as malas ou reinventarem-se como um trio, Hayley, o guitarrista Taylor York e o baixista Jeremy Davis escolheram a segunda opção e fizeram o álbum, fazendo surgir algo positivo que reflete no que são no presente. “Estou muito orgulhosa de que este não seja um disco raivoso do Paramore”, diz Hayley. Jeremy adiciona: “É um álbum muito mais feliz e mais brilhante do que as pessoas poderiam esperar, dado tudo o que aconteceu. Nós queríamos escrever canções como estas há muito tempo, mas não tínhamos o clima emocional. Mas agora temos.
Os membros da banda se esconderam para escrever sobre os últimos anos e isso resultou em uma coleção de músicas que retém o espírito jovem do Paramore, porém claramente mostra a sua evolução. É o conjunto mais “aventureiro” que eles já lançaram. O que não quer dizer que o novo álbum não irá emocionar os fãs de longa data. O presente é uma energia agitada e feroz (uma marca registrada do som do Paramore) em “Now”, “Fast In My Car”, “Proof”, “Anklebiters”, e “Be Alone”. Mas o álbum também deve dar ao Paramore novos ouvintes, graças à vontade do trio de explorar novos territórios musicais, como Funky, High-Stepping que são misturados em “Ain’t It Fun(com vocais soulful de Hayley, slap-bass de Jeremy e o crescente coro gospel), o flexionado wop-inflected “(One Of Those) Crazy Girls”, e a melodiosa e cheia de energiaHate To See Your Heart Break“. “As pessoas obviamente dão à Hayley créditos por ser uma cantora incrível, mas eu não acho que eles realmente entendem o quão versátil ela é e o quanto sua voz pode fazer”, diz Taylor.Você realmente ouve diferentes lados dela nesse álbum”.
Da sua parte, Hayley diz que Taylor se transformou em um compositor fundamental para a diversidade musical do álbum. “Eu não acho que ninguém sabia que Taylor tinha isso dentro dele”, diz ela. “Não que nós tivemos qualquer razão para duvidar do que ele faz, mas ele simplesmente nunca teve essa oportunidade antes. Enquanto estávamos escrevendo, eu entrava no quarto e ouvia algo que ele estava trabalhando e eu ficava tipo ‘O que é isso? Isso soa incrível’. Ele dizia ‘Oh, é apenas algo que eu estou fazendo para mim’. E eu dizia ‘Não, nós vamos usar isso’”. Taylor disse: “Hayley e eu realmente fomos desafiados no processo de composição. Foi uma experiência muito legal escrever com ela e irmos em uma nova jornada juntos. Encontramos nossa própria dinâmica, o que nos levou para algo diferente do som clássico do Paramore.”
Todos os três membros da banda concordam que o produtor do álbum, Justin Meldal-Johnsen, encorajou-os a seguir com as ideias que surgiram no estúdio e não cortá-las fora da passagem de som só porque não soariam como o tradicional Paramore. MeldalJohnsen (conhecido como JMJ) é um ex-diretor musical de Beck e Gnarls Barkley, que também tocou baixo com Beck e Nine Inch Nails, e produziu também os nomeados ao Grammy, M83, com o álbum Hurry Up, We’re Dreaming – um dos mais recentes favoritos álbuns do Paramore. “JMJ realmente encontra o coração em nossas novas músicas”, disse Taylor. “Ele não queria mudá-las, ele só queria trazer mais vida a elas. Ele sabe como apoiar a música das outras pessoas e eu o respeito por isso”. Jeremy adicionou: “Ele nos ajudou a sermos criativos e a pintar exatamente a imagem que queríamos”.
O álbum foi mixado pelo ex-vocalista da banda Failure, Ken Andrews. “Ter JMJ trabalhando nesse projeto significou que tínhamos que trazer alguns de seus amigos que são como heróis para nós, como Ken“, disse Hayley. “Como uma garota de 13 anos ouvindo Fantastic Planet, eu nunca esperei que o garoto que cantava naquele álbum iria eventualmente mixar não apenas nosso álbum, mas nosso QUARTO álbum. Ele até cantou uma parte de ‘Be Alone’. Eu sorri como uma idiota o tempo todo quando o ouvi”.
Liricamente, Hayley encontrou a si mesma inspirada por estar pela primeira vez indo gravar o álbum, depois de se mudar de Los Angeles (“Be Alone”, “Ain’t It Fun”) e o efeito que isso teve sobre seus entes queridos (“Still Into You”). Então há “Last Hope”, que Hayley considera uma música que a banda foi feita para escrever. “Haviam momentos nesses últimos anos que eu realmente estava por um fio”, diz ela. “Eu senti que meu propósito havia ido embora. A música é sobre como eu me arrastei para fora disso”. Por outro lado, há “Fast In My Car” que Hayley diz: “É a história de nós três como amigos. Temos a este lugar onde isso era como ‘Vamos fazer com que seja fácil para nós mesmos apenas por estarmos abertos e honestos e vamos nos divertir por aí como uma banda’. Quando eu ouço essa música, eu penso em nós entrando em um carro e saindo por aí na cidade.”
Camaradagem é algo que o Paramore se esforça para ter desde que eles se formaram em Nashville, 2004, quando ainda eram adolescentes. Desde o lançamento de seu primeiro disco de ouro com All We Know Is Falling em 2005, a banda foi três vezes indicada ao Grammy e disparou para o estrelato internacional graças a uma forte conexão com seus fãs, que se traduziu em uma série de singles e platinas de ouro, incluindo “Misery Business”, “CrushCrushCrush” e “That’s What You Get” do álbum de platina de 2007, “Riot!”, “Decode” da trilha sonora do primeiro filme da saga Crepúsculo, em 2008, “The Only Exception” do álbum de platina Brand New Eyes, em 2009, e “Monster”, trilha sonora do filme Transformers, em 2011. Isso tudo também os levou a uma série de turnês com ingressos esgotados, incluindo a Honda Civic Tour de 2010, onde foram a atração principal e mais várias visitas à Europa, Ásia, Austrália, Nova Zelândia e América do Sul.
Mais do que tudo, Hayley, Jeremy e Taylor estão prontos para voltar à estrada. “Nossa conexão com os fãs é a coisa mais importante para nós”, diz Jeremy. “Estou realmente animado para voltar para o swing da estrada e sentir a energia que vem do público”.
Eles também não podem esperar para ouvir como os fãs irão reagir às músicas novas. “Nós realmente falamos sério quando dizemos que esse álbum soa como algo que nossa banda sempre foi suposta a fazer”, diz Taylor. É por isso que eles escolheram auto-intitular o álbum. Hayley diz: “Nós sentimos que a melhor maneira de dar um nome era só chamá-lo do que ele é. Esse álbum é nós.”

Fonte: Paramore BR

Nenhum comentário:

Postar um comentário